A Clínica

A Audvita é uma clínica de especialidades fonoaudiológicas que visa atender os pacientes que necessitam de exames diagnósticos nas áreas da audição e do labirinto, assim como, de reabilitação dessas e das demais áreas que envolvem a fonoaudiologia. A clínica também oferece atendimento para seleção e adaptação de aparelhos auditivos, venda de pilhas, realização de moldes e assistência técnica especializada.

Profissionais

Daiana Camargo Zilotti

Fonoaudióloga 2-16.982 – Graduada pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – FMRP- USP- Ribeirão Preto (SP). Especialista em Audiologia Clínica pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia.

Flávia Custódio Pedroso de Souza

Fonoaudióloga 2-20.361 – Graduada pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo - FOB-USP – Bauru (SP). 

Flávia Regina Pirondi

Fonoaudióloga 2-15.570 – Graduada pelo Centro Universitário de Votuporanga (UNIFEV) – SP. Pós Graduada em Neurologia com Ênfase em Neuropediatria – UENP - Universidade Estadual do Norte do Paraná – Campus de Jacarezinho (PR). Pós graduanda em Audiologia pela Fundação Educacional de Fernandópolis - FEF.

Tamiris Alves Araújo

Fonoaudióloga 2-19.716 – Graduada pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo - FOB-USP – Bauru (SP). Pós graduanda em Audiologia pela Fundação Educacional de Fernandópolis - FEF.

APARELHOS AUDITIVOS
PRÓTESES

Seja um Parceiro Audvita

  • Uma Solução Auditiva para cada situação específica;
  • Nossos aparelhos atingem o perfeito equilíbrio entre estética, funcionalidade e conforto auditivo;
  • Se encaixarão perfeitamente…

    Leia Mais

Nosso programa de experiência permite que você teste o aparelho auditivo  em casa antes de se comprometer com a compra. 

Não tem graça comprar algo sem ter a certeza de que é isso que deseja fazer. Queremos que…

Leia Mais

Aparelhos

Uma solução auditiva para cada situação específica. Os aparelhos auditivos Unitron mudarão sua vida. A Unitron projeta aparelhos auditivos para atingir o…

Leia Mais

Slider 6 Slider 5 Slider 3 Slider 4 Slider 1 Slider 2 Slider 7

EXAMES
QUE REALIZAMOS

Confira na busca a listagem completa dos
exames que realizamos.

exames

AUDIOMETRIA CLÍNICA (Adulto e Infantil)


Indicado para quem tem suspeita de diminuição da audição ou para quem ja possui perda auditiva; para aqueles com queixa de zumbido, tontura, sensação de "ouvido tampado" ou outra queixa auditiva. Sua realização é imprescindível para o diagnóstico, controle da evolução e tratamento das doenças que afetam a audição.



AUDIOMETRIA OCUPACIONAL


Indicado para exame admissional, demissional e periódico (conforme determinação do programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO). Também utilizado no rastreamento e evolução da PAINPSE, e no diagnóstico diferencial da Alteração Temporária de Limiar Auditivo (ATLA).  



BERA / PEATE (Adulto e Infantil)


Indicado para o diagnóstico precoce da perda auditiva na criança de qualquer idade, ou mesmo em adultos. Também para aquelas pessoas nas quais não tenha sido possível realizar uma testagem subjetiva confiável (inclusive prováveis simuladores na audiometria). Importante no acompanhamento da maturidade das vias auditivas em quadro de hiperbilirrubinemia neonatal e em casos de risco ou suspeita de problemas no nervo auditivo ou tronco encefálico (retrococleares). Indicado também para pacientes com queixa de zumbido, na detecção de tumores do nervo auditivo, nas afecções como esclerose em placas, leucodistrofias, doença de Alzheimer e tumores intracranianos da fossa posterior.



EMISSÕES OTOACÚSTICAS NA CRIANÇA (Teste da Orelhinha)


Faz parte da bateria de testes obrigatória de todo recém nascidos, principalmente, os prematuros que necessitaram de internação hospitalar. Indicado para os casos de perda auditiva pré, peri ou pós-natal da criança, triagem em creches ou escolas e no diagnóstico diferencial de doenças retrococleares. É uma ferramenta importante em crianças "difíceis" de serem avaliadas por métodos subjetivos.



EMISSÕES OTOACÚSTICAS NO ADULTO


Utilizado para o diagnóstico precoce de disfunção precoce de disfunção coclear, principalmente quando o paciente tem uma audiometria tonal normal. Indicado em pacientes com queixa de zumbido, que fizeram ou estão fazendo tratamento com drogas que causam perda auditiva (quimioterapia, hipertensão arterial, antibióticos do grupo dos aminoglicosídeos e outros).

 

 


EXAME OTONEUROLÓGICO


Indicado para avaliar a função do labirinto em pacientes que possuem queixa de "labirintite", vertigem, tontura, cabeça pesada, desequilíbrio, VPPB, desvios à marcha, cinetose, zumbido, perda auditiva neurossensorial e síndromes do tronco encefálico e cerebelo. Indicado para crianças e adolescentes com queixa de mal rendimento escolar e atraso no desenvolvimento motor.

  



FONOTERAPIA


Indicado para aqueles que apresentam alterações nas áreas de linguagem oral e escrita, motricidade orofacia, voz e disfagia. 



IMITANCIOMETRIA


Indicado para complementar a audiometria tonal, bem como no controle do tratamento da otite média (orelha com presença de secreção), sendo exame de rotina no pré e pós-cirúrgico da orelha média. Indicado também para avaliar o local lesado em casos de paralisia do nervo facial e em pacientes portadores de quadro vertiginoso.



PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL


Indicado para crianças ou adultos que apresentam dificuldades de aprendizagem, dificuldade de comunicação oral e/ou escrita, dificuldade de compreensão em ambientes ruidosos e compreensão da leitura. Os portadores da alteração do processamento auditivo central são indivíduos distraídos, agitados, hiperativos ou muito quietos; apresentaram ou apresentam atraso na linguagem, inversões ou trocas de letras e problemas de orientação direita e esquerda.



REABILITAÇÃO VESTIBULAR (RV)


Indicada para indivíduos com distúrbios do equilíbrio como hipofunções labirínticas uni ou bilateral, VPPB, pacientes com vertigem postural, vertigens crônicas ou vestibulopatias não compensadas, cinetoses, sintomas vertiginosos no pós-operatório de cirurgias otoneurológicas e idosos com desequilíbrio e quedas.



DICAS
CURIOSIDADES

ENTENDENDO O PORQUE QUE EU ESCUTO, MAS NÃO ENTENDO!
ENTENDENDO O PORQUE QUE EU ESCUTO, MAS NÃO ENTENDO!

Por ser um “invisível”, muitas vezes os problemas auditivos são deixados de lado. Mas pequenos sinais podem sinalizar algo muito importante e que ao longo do tempo vai se agravando. 

Quanto mais cedo detectarmos e tratarmos os problemas, melhores resultados alcançaremos!

A frase mais comum das pessoas com dificuldades auditivas é: “não é que não escuto, eu escuto, mas não entendo”.

Isso acontece pelo fato da fala e demais sons serem compostos por diferentes tipos de sons, que podem ser graves, médios, agudos, altos, baixos. E nosso sistema auditivo é extremamente complexo! Ele é capaz de identificar todos e, junto como todo o incrível sistema que vai do ouvido até o cérebro, nos passar a mensagem correta.

Acontece que muitas vezes alguma parte desse sistema está “falho”, pode ser que o som não esteja conseguindo atravessar o sistema, ou chega ao ponto final e não consegue ser reconhecido, ou ainda nem consegue passar a entrada principal por conta de alguma obstrução. São diversas as causas que podem levar a alguma alteração.

O que se torna mais comum é a perda de entendimento de fala. Esta é composta por diferentes sons, cada letra tem um som diferente, as vogais são de frequência mais grave e as consoantes, mais agudas, principalmente o “s”, “z”, “f”, “v”, e o traço sonoro que diferencia as letras é muito sutil, podendo haver confusão na diferenciação de sons, como “c” com “g”, “p” com “b”, “t” com “d”. Às vezes temos melhor entendimento de fala na voz de algumas pessoas do que de outras, isso é normal, pois cada um tem uma frequência e intensidade diferente de fala, agregado a articulação das palavras (movimentação para pronunciar as palavras).

Portanto quando estamos ouvindo, nosso sistema auditivo e o cérebro estão nos informando quais sons são, quais palavras estão sendo formadas, o que quer dizer, sobre o que está sendo falado. Para pessoas com alguma alteração em alguma parte do sistema, pode “ouvir a mensagem falhada”, ou seja, não está recebendo toda a informação, somente parte dela, e aí vem o famoso “escuto, mas não entendo”, realmente existe a dificuldade de entendimento da fala, devido ao tipo de alteração.

Sessenta pode ser setenta, até oitenta; elefante, refrigerante e restaurante podem ser a mesma coisa! O contexto muitas vezes ajuda o entendimento, mas nem sempre é suficiente.

Existem diferentes graus e tipos de perda auditiva, ou até mesmo outros problemas que não uma perda auditiva que levam a essa dificuldade.

As perdas auditivas leves muitas vezes são ignoradas ou nem percebidas, e somente quando se agravam ou, repentinamente, se perde grande parte da audição, é que se dá atenção a esse problema tão comum e fácil de ser detectado.

As queixas mais comuns são:

- escuto, mas não entendo;

- quando tem muita gente ou muito barulho, eu não consigo ouvir direito;

- a família reclama que está aumentando o som da televisão;

- tem pedido com frequência para repetirem o que foi falado;

- precisa olhar para a pessoa que está falando para entender;

- acha que as pessoas falam baixo ou “pra dentro”;

As causas para as perdas auditivas podem ser diversas e isso precisa de uma avaliação para iniciar a investigação.

Os tratamentos irá depender de cada caso, de cada problema. Pode ser medicamentoso, cirúrgico, aparelho auditivo ou terapia fonoaudiológica. É necessária a avaliação para a conduta adequada.

Nunca deixe de procurar ajuda PORQUE OUVIR É IMPORTANTE!

ENTRE EM CONTATO

Nome:
E-mail:
Telefone:
Mensagem:
Rua Floriano Peixoto, 837 - Vila Mendonça
CEP: 16015 000
Araçatuba - SP

  18 3304 3720
  18 98102 5881
  facebook/audvitacentroauditivo
  Instagram
  contatoaudvita@hotmail.com